memorial

História Oral

Voltar


Tendo realizado a sua primeira entrevista em 30 de agosto de 2000, o Banco de História Oral conta atualmente com cerca de 100 depoimentos. A rede de depoentes inclui membros da Instituição, gaúchos e de outros estados, magistrados, servidores, esposas de procuradores e promotores, políticos, etc. Alguns depoimentos já se encontram publicados, na íntegra, nos volumes 1, 2, 3, 4, 5 e 6 da Série Histórias de Vida do Ministério Público. Esses estão sendo disponibilizados gradualmente ao final desta página.

O banco de entrevistas tem se revelado instrumento fundamental para o tratamento da história institucional, com a vantagem de proporcionar ao estudioso uma perspectiva subjetiva.

Essas diretrizes assinalam a tendência a destacar a abordagem temática das entrevistas, enfatizando-se a participação do indivíduo no espaço institucional e público. Assim, as questões pertinentes aos temas de pesquisa ajudam a nortear a formação da rede de entrevistados.

Seguindo a orientação técnica, o Programa foi disposto em oito etapas diferentes: preparação, agendamento, entrevista, transcrição, textualização, revisão, arquivamento e aproveitamento historiográfico.

A preparação da entrevista envolve a coleta de dados biográficos que situem a trajetória profissional do depoente em sua relação com o Ministério Público. Essa etapa inclui o preenchimento de uma ficha padronizada que acompanhará o documento até o seu arquivamento. A ficha contém os dados biográficos do entrevistado, um resumo de seu currículo, informações sobre a entrevista e os entrevistadores e o caderno de campo, com as anotações feitas pelo entrevistador auxiliar durante a entrevista. Tais anotações incluem nomes próprios citados, o registro das possíveis interrupções e até informações mais subjetivas, como estado de ânimo do entrevistado, momentos de hesitação, manifestação de irritação, etc.

A entrevista propriamente dita ocorre no local de escolha do depoente que pode ser a sua residência, seu escritório ou gabinete ou nas dependências do Memorial. Participam o entrevistador principal e um auxiliar, responsável pela operação dos gravadores, da câmera de vídeo e pelas anotações no caderno de campo.
Depois da coleta, as gravações em fita cassete e VHS, bem como a ficha de entrevista são encaminhadas para o setor de taquigrafia do Memorial do Ministério Público. O Memorial conta com uma taquígrafa que integra a equipe e tem formação em Letras. Assim, ela não se limita a transcrever os depoimentos, mas também elimina vícios de oralidade e realiza correção gramatical, adiantando o trabalho de textualização.

A textualização é, em geral, feita pelo entrevistador principal ou auxiliar. Ela consiste na transposição da linguagem oral para escrita, com a supressão de repetições, estruturação de frases e parágrafos, melhorando o estilo de expressão, sem, todavia, alterar o conteúdo da entrevista.

Após, as entrevistas são enviadas aos depoentes, acompanhadas de uma carta de autorização para consulta e publicação. Nessa etapa, o entrevistado pode fazer ajustes no texto, acrescentando ou suprimindo trechos, corrigindo nomes próprios e datas, completando trechos inaudíveis na gravação. O entrevistado também é livre para estabelecer que o depoimento, ou somente um trecho dele, estará fechado para consulta externa e publicação.

Antes do arquivamento e do aproveitamento historiográfico, o depoimento passa por um processo de indexação, que muito facilita o trabalho de pesquisa, tanto da equipe do Memorial, quanto de consulentes externos. Os indexadores foram divididos em seis eixos temáticos: órgãos e jurisdição do Ministério Público; legislação; administração do Ministério Público; entidades associativas e atividades culturais; prática da Justiça e relações de poder; temas de interesse para a historiografia. Dentro de cada eixo temático existem temas e subtemas.

Entrevistas disponíveis para consulta:

ANA MARIA MOREIRA MARCHESAN

ANGELA SALTON ROTUNNO

ANTONIO ARALDO FERRAZ DAL POZZO

ANTÔNIO BRITTO FILHO

ANTÔNIO VISCONTI

ARLINDO DE OLIVEIRA BRITO

AUGUSTO BORGES BERTHIER

BLANCA BENDER CARPENA DE MENEZES

CARLOS OTAVIANO BRENNER DE MORAES

CARMEN LUIZA DIAS DE AZAMBUJA

CLÁUDIO BARROS SILVA

CLÁUDIO JOSÉ SILVEIRA BRITO

CLOVIS GOULART PONZI

DALTRO AGUIAR CHAVES

DELMAR PACHECO DA LUZ

DELMAR PACHECO DA LUZ

EDISON PONTES DE MAGALHÃES

ENRIQUE LAIR ATHAYDES

EUNICE TEREZINHA RIBEIRO CHALELA

EUZÉBIO CARDOSO DA ROCHA VIEIRA

FRANCISCO DE ASSIS CARDOSO LUÇARDO

GARIBALDI ALMEIDA WEDY

GIBRAN BAHLIS

HENRIQUE DIAS DE FREITAS LIMA

HUGO NIGRO MAZZILLI

IBSEN VALLS PINHEIRO

IEDA JUSSARA RIVAROLLY

JACQUELINE FAGUNDES ROSENFELD

JOÃO LOPES GUIMARÃES

JOÃO LYRA DE FARIA

JOAQUIM MARIA MACHADO

JOSÉ ANTÔNIO PAGANELLA BOSCHI

JOSÉ ANTÔNIO PAGANELLA BOSCHI

JOSÉ AUGUSTO AMARAL DE SOUZA

JOSÉ BARRÔCO DE VASCONCELLOS

JOSÉ PEDRO MACHADO KEUNECKE

LADISLAU FERNANDO RÖHNELT

LAURO PEREIRA GUIMARÃES

LORENO LUIZ ZAMBONIN

LUIZ ANTÔNIO MARREY

LUIZ CARLOS GOMES

LUIZ FELIPE DE AZEVEDO GOMES

MARCELO ROBERTO RIBEIRO

MARCO AURÉLIO COSTA MOREIRA DE OLIVEIRA

MARIA ISABEL DE AZEVEDO SOUZA

MARIA REGINA FAY DE AZAMBUJA

MÁRIO CAVALHEIRO LISBÔA

MARLY RAPHAEL MALLMANN

NEUSA MARIA PINTO PINTO

OSCAR XAVIER DE FREITAS

OYAMA FRANCISCO DA FONTOURA ROCHA

PAULO CLÁUDIO TOVO

PAULO MORAES DUTRA

PAULO OLÍMPIO GOMES DE SOUZA

PAULO PINTO DE CARVALHO

PAULO RICARDO TONET CAMARGO

PLÍNIO DE ARRUDA SAMPAIO

RAUL JOSÉ DE CAMPOS

SANDRA GOLDMAN RUWEL

SÉRGIO DA COSTA FRANCO

SÉRGIO GILBERTO PORTO

SÍLVIA CAPPELLI

SIMONE MARIANO DA ROCHA

SÔNIA ELENI CORRÊA MENSCH

SOPHIA GALANTERNICK STURM

SYLO SOARES

TAEL JOÃO SELISTRE

TANIA CONCEIÇÃO SPORLEDER DE SOUZA

THALES NILO TREIN

TUPINAMBÁ PINTO DE AZEVEDO

VERA LÚCIA VON HOONHOLTZ LAITANO

VICTOR JOSÉ FACCIONI

VLADIMIR GIACOMUZZI

VOLTAIRE DE LIMA MORAES

VOLTAIRE DE LIMA MORAES

WALTER MARCILIGIL COELHO


Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul
Av. Aureliano de Figueiredo Pinto, 80 - Porto Alegre - CEP.: 90050-190 - Tel.: (51) 3295-1100
Horário de atendimento ao público externo e funcionamento: 08h30 às 18h00